24 agosto 2010

MEA CULPA




ILUSTRAÇÃO: Alan Carline



MEA CULPA

Por Marco A. de Araújo Bueno


Pequena multidão, eclética;
Congraçamento cúmplice,
Acolhedor, homogêneo.

De fronte à Matriz, ascética,
Jovem estirado num banco
Recobra-se (temporal crise epilética).

Ergue-se do caos; constrangimento;
Disfarça a cicatriz da baba, ao lado
De gente alheia a seu momento.

Meus olhos acompanham; acaba
Ali, empático, nosso sofrimento sumido
No meu distanciamento, antiético, assim?

Pois ajeitando cabelo em face pálida,
Por fresta entre vultos e ruído em volta,
Volta e crava os olhos justo em mim.




5 comentários:

Anônimo disse...

Vivian escreveu:
"Gostei demais." (Facebook/GO)

Luiz Contro disse...

Certeiro.

Homero Gomes disse...

Gostei muito do "Mea Culpa", Marco.
E, complementando, o Luiz, é preciso.
Abraço do Homero.

Bia Pupin disse...

Até cambalei!

Marco A.de Araújo Bueno disse...

Muito bom pai!!! E a ilustração do Alan, nem se fala...

Tentei publicar comentário no blog, mas não consegui, esqueci minha senha no Google...

E no mais tudo certo?! E os tratamentos, decidiu um rumo a tomar?!
Rodrigo M. Bueno {por e-mail}

Related Posts with Thumbnails