03 novembro 2011

INDRISO PARTIDO



Realmente não sei da existência da vida.

Realmente não sei da existência da vida,
Pois a gente mal nasce e começa a morrer,
Logo a vida é um início um começo do fim.

Realmente não sei se a partida começa!

Realmente não sei se a partida começa:
Ao nascermos num grito estridente em silêncio,
Ao partirmos de fato ao findarmos de vez!

3 comentários:

Anônimo disse...

...Vejam, pois, o que esta página acolhe sob a rubrica de Poesia: uma inócua e estéril ideação vazada disformemente na anarquia irreconciliável de versículos sem inspiração...

Meu Deus, guardai-nos dos escrevinhadores!!!....

Marco A.de Araújo Bueno disse...

Segundo o escritor espanhol, pai da matéria) Isidro Idurat,essa modalidade de indriso é a diastólica, bem pouco praticada pela dificuldade de tornar potente o verso livre entre dois tercetos,operando,por eles,o inverso da inspiração, - a expiração. E você o faz com habilidade,Marcelo!Chamar teu indrido de disforme é de uma precariedade risível (risos,risos,rs,rs)Parece que compartilhamos um detrator meio apaixonado, caro, mas pouco preparado para o que quer que seja!

Marcelo Finholdt disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Related Posts with Thumbnails