19 agosto 2010

Trovas Etílicas


Por Marcelo Finholdt
 À família Finholdt

Bom é bem viver em Minas!
De alambique em alambique,
Nos botecos das esquinas,
Minha mente quer que eu fique.


Tento sempre em outro estado
Restaurar as tais enzimas,
Volto sempre para o fado,
Nos botecos das esquinas.

De alambique em alambique
Perfumado bebo, caio,
Elegante, fino e chique...
Neste pique então desmaio.

Minha mente quer que eu fique
Neste pique então curtido,
Exalando, neste dique
O meu fígado cozido.

Logo destilado fico
Sem o efeito de endorfinas,
Sem enzimas, sem penico...
Bom é bem viver em Minas!

Um comentário:

Paola Benevides disse...

A ti, caro bom poeta feito em Minas, dedico meus tim-tins cearenses! Vivas à ardente água que nos dá versos!

Related Posts with Thumbnails