15 maio 2012

DECA EM DUAS PARTES - DESERTOR NO DESERTO



                                                     Desenho por Felipe Stefani

 Desertor no Deserto*

Por Marco A. de Araújo Bueno


PARTE I


Doze anos, palestino fronteiriço, dois de treino. Paramentou-se: explosivos, celular...


“Desertor no Deserto” – PARTE II

Ao toque, sacou dispositivo junto. Sucumbiu; deserto. Tel-Aviv/paraíso - Doze km!

*Título: "Desertor no Deserto" (inspirado no filme "Paradise Now", de Any Abu-Assad-2005")
Autor: Marco Antônio de Araújo Bueno

[Comentários de Marco Antônio de Araújo Bueno:

Para a minha Coluna - BREVIDADES - - Microconto de dez palavras dividido em duas partes. Cabe ao leitor, diante das circunstâncias históricas recentes, planejar seu próprio modo de recepção da peça. Para tal, deve programar o distanciamento ideal entre as leituras das respectivas partes (I e II) do microconto e não se deixar iludir, seja pela extensão, seja pelo teor da matéria narrada. Conjecturas avizinhadas são oportunas. ]

4 comentários:

Anônimo disse...

Bem oportuno, marco, assisti palestra na Cultura, recente, sobre o que pensa um homem-bomba
Ab

Anônimo disse...

O comentário do autor me atrapalhou a leitura. Deve der feita, penso eu, como a de um microfilme. Só entendi que a bomba foi acionada em resposta AO TOQUE do celular depois de muitas leituras isoladas. No filme, o palestino não aciona a bomba e entra num ônibus urbano, num final muito sinistro.

Anônimo disse...

O ringtone de um celular em bolsa alheia, tipo M.Teló, pode explodir a cabeça de árabes e esraelenses...Mesmo fora do Islã!

Marco A.de Araújo Bueno disse...

Paula Miasato - Porra... Curti este texto aí! hehehe!!!

Related Posts with Thumbnails