28 setembro 2010

AQUELE CUJA FOME ESPERA


AQUELE CUJA FOME ESPERA


Por Marco A. de Araújo Bueno


Aquele cuja fome espera
A fome que estará saciada
No outro, enquanto este, quimera,
Padece de fome engaiolada...

E, se o que sacia a fome está, sempre
Apenas onde nós a pomos,
Pra que enraizar felina fome
Entre patas caninas e alpiste sem nome!?

E se, então, surgir a liberdade
Que desmoronasse a espera em cadeia
E desencadeasse uma fome dual ?!

Libertos estariam, um para o outro,
E, ambos, para a saciedade
Ou para a liberdade de esfomear-se da falta.


{Soneto produzido contra o relógio [15'] em face do cartoom acima como mote, em oficina semestral do ficcionista e editor Nelson de Oliveira. Oportuno aqui, por homenagear o trabalho dele, melhor contextualizado no mais recente programa Letra Livre, TV Cultura. Venceu concurso, mas isto é outra história}


2 comentários:

Marco A.de Araújo Bueno disse...

Marco, meu caro, obrigado por divulgar e comentar o Letra Livre mais recente.
(...)

Tenho visitado regularmente o De Chaleira, e lido teus artigos, ensaios, poemas, minicontos... Nossa afinidade reflexiva e discursiva é grande, não há dúvida.

Ainda não comecei a escrever o conto para o Portal Fahrenheit. E você?

Abraço!

Nelson

{Nelson de Oliveira, por e-mail}

Anônimo disse...

O poema vencedor foi: ‘Aquele Cuja Fome Espera’, de Marco Antônio de Araújo
Bueno.

Venham conferir e oferecer suas congratulações ao autor. Para tanto, acessem o
seguinte endereço:



Blog:
http://gritosverticaisdanaturezapoetica.blogspot.com

Related Posts with Thumbnails