17 abril 2010

Registros de Bienal do Livro (made in CE)

Texto de Paola Benevides (a moça das cores e fotos)


Na IX Bienal Internacional do Livro do Ceará parecia haver bem mais gente do que livros. Antes fossem TRAÇAS! Fui a um só dia, ontem, impacientada com a cara cultura cara em stands de venda, além da multidão encarrilhada para cada vagão de editora, livraria ou banca de profissionais que compõem as cadeias da literatura. Todos os artistas em meio a outros tantos pretensos, mas de muito senso bom. Eram várias alas e cafés e salas e arenas e oficinas e shows e palestras, tudo belo em torno do tema: o livro e a leitura dos sentimentos do mundo. A homenageada desta edição é a escritora cearense Rachel de Queiroz, primeira dama a ingressar na Academia Brasileira de Letras. Ela completaria seus 100 anos justo neste 2010.

Folheadas, a ouro e a dedos
As páginas
Olhadelas entre estantes de prata
As prateleiras.
Óculos a oscular entrelinhas
Estrelinhas de lido orgasmo
Múltiplas nuanças
Danças de cabeças
Para um e outro lado
Do parágrafo ao final, em ponto
Bibliotelecoteco do balacobaco
Recita-me ou te devoro,
Ó Capitu dos capítulos!
Gosto do teu amor mofado
Do amarelo desse tempo
De poetamento tão universalizado.
Um dia eu me LIVRO de você

3 comentários:

Guilherme Salla disse...

Clap, clap, clap...

Rafael Noris disse...

Até na crônica você é original ;-)

Também aplaudo...

Paola Benevides disse...

Retribuo com o abre-fecha frenético das páginas dos livros. Estes que também vos aplaudem sem empoeirar, sempre a sorrir!

Related Posts with Thumbnails