27 fevereiro 2011

CONVERSAÇÕES COM CAEIRO - I

Por Talita Oliveira

pensei em ti
e isto
já seria o contrário do que vives.

sou uma bacante lassa
corroída pelas correntes da vida.

Rute jazia aqui tão cansada
emparedada pela serpente
dos abismos resgatada e ancestral.

palavra sentida, plena do pó que pisaste
por pés que desmereceram o caminho andado.

pedra de sal
a cidade que deixei depois de ti
nos olhos do passado que contemplam-te indo
longe da memória
da cidade que deixei.

2 comentários:

Marco A.de Araújo Bueno disse...

Nossas boas-vindas, Talita, neste poema que inaugura a coluna Cantomínimo, já no fervo desde Domingo, 27. São dispositivos atômicos, condensados mesmo, que o De Chaleira bem acolhe. E explodiremos todos juntos.
Merde!

Talita Oliveira disse...

Obrigado, Marco. Espero que minhas conversações poéticas agradem os "Chaleiras". ;)

Related Posts with Thumbnails