01 julho 2011

FORMIGAMENTOS

FORMIGAMENTOS

Por Felipe Modenese

Narcisista em idéias. Imunodeficiente em angústias. Uma lagarta de sebos e bibliotecas. Ensaia a dominação da natureza enquanto bombas no seu peito vêem-se ritmadas pelo descompasso do espírito invadido.

Tal qual uma aldeia doutrinada por sacerdotes seculares, confiante na tradição de tantas gerações, enraizada na história, no arsenal de ideologias, Lurdes é aterrorizada. Qualquer sopro rasga um desequilíbrio em seu corpo suspenso sobre o fio da navalha.

A mesma navalha que demarca o ser do alheio e que raspa a animalidade da face dos hominídeos com polegares opositores.

Mastiga sonetos com seu aparelho bucal triturador. Sorve extratos azedos da civilização urbana e cospe na multidão sem nome do seu bairro. Confiante em seus conhecimentos de porcelana, segue.

Enquanto mergulha o dedo indicador na cuia de urucum e grava as rochas de suas impressões do mundo, Lurdes é açoitada pelos bafos da sua finitude.

Constrói. Manipula. Dedilha. Impulsionada pelo pulsante vazio do peito. Cozinha. Corta legumes. Salga a carne. Frita. Molda o barro sua imagem complementar - sendo, inclusive, o tudo, o complemento do nada. Costura. Pinta. Borda na malha a insígnia de sua paixão. Cestos e balaios de capim ouro. Prole. Gesta no bambu uma escultura de carne e (f)osso:

É parido do quarto colmo do bambu mais viçoso, na lua cheia do mês mais cruel. Chora sua placenta lenhosa, salta, pula e toca.

Qualquer sombra de angustia amaldiçoa a mão negra de Pixinguinha ao bolso vertical no peito. Mete o punho na caixa e rumina com dedos o batimento descompassado. Espreme o músculo cardíaco enquanto escorre a seiva da cultura pela barriga e chão.

Pixinga. Pixinguinha.

Idéias e angústias imersas no formigamento do espaço-tempo.

Choro.


2 comentários:

Anônimo disse...

Requer mais de uma leitura, texto encorpado. Mas quem é esse tal Biu, outro fake (como o tal Alemar, da coluna Rodoscópio. A quem pensa que engana, Sr. Araújo Bueno ?

Marco A.de Araújo Bueno disse...

Prez. Anônimo:
1. O Biu tem existência positiva; pergunte ao Noris que providenciará inda hoje a inserção da foto e minibiografia do jornalista/escritor;
2. Antônio de Alemar é um especialista lisboeta que se debruça sobre a obra do Gonçalo Tavares e
3. falta-me hipocrisia para ludibriar nossos leitores-hipócritas!

Related Posts with Thumbnails